Guilherme Ribeiro

Not just another WordPress.com weblog

Posts Tagged ‘skype

Digitalização…

with 20 comments

DigitalizaçãoGraças à internet, o mundo está cada vez mais acessível, moderno e rápido. Mas quem consegue se manter ativo em todas as ferramentas da web ao mesmo tempo? Com grande crescimento em número de serviços e usuários, a vida virtual vem tornando-se cada vez mais movimentada, e complicada!

Enviar e receber e-mails, conversar instantaneamente por texto, voz ou vídeo, compartilhar fotos, músicas, listas, idéias, textos, preferências, piadas, vídeos e até mesmo saciar a curiosidade alheia, dizendo o que você anda fazendo durante o dia… É difícil conhecer uma pessoa que não seja usuária de pelo menos um dos inúmeros recursos e serviços hoje disponíveis na rede. Ao longo da última década foi notável o aumento no número destas ferramentas, e tal fator foi ao mesmo tempo que em partes motivado, motivador do crescimento do número de pessoas com acesso à internet: os chamados internautas somam hoje mais de um bilhão em todo o globo – em 2002 eram 563 milhões.

Segundo dados de uma pesquisa encomendada pela Google à Netpop Research, o acesso à internet no Brasil ainda detém maior expressividade em ferramentas on-line mais simples e populares como o e-mail [90%], os serviços de busca e pesquisa [89%] e de mensagens instantâneas [67%]; apesar disso, o país registra o primeiro lugar mundial em horas de navegação/usuário, com média de 44h59m para o mês de junho/2009 – considerados todos os usuários com algum tipo de acesso, seja em casa, no trabalho, lanhouses, bibliotecas, etc., que segundo estimativas do Ibope já atingem a marca de 62,3 milhões de pessoas [aprox. 32% da população] – nos EUA, os internautas somam 300 mi [aprox. 75% da população].

O Brasil pode ser considerado contraditório se compararmos todas as estatísticas: embora seja o país em que as pessoas fiquem mais tempo on-line, a quantidade de pessoas com acesso ativo em domicílio ainda é baixo: pouco mais de 13% [25,6 milhões]. Isso não impede, por exemplo de também pertencer ao Brasil o primeiro lugar em número de membros no Orkut. Mais de 50% de todos os usuários do mundo são brasileiros – isso explica até o porquê de tantas pérolas… Esta tomada do Orkut fez com que usuários de outros países se vissem obrigados a deixá-lo. Por encontrarem somente conteúdo dirigido aos brasileiros – e em português – muitos migraram para outras redes sociais. esse fato ficou conhecido como o “Brazilian Takeover.

Foi-se o tempo em que as fotos de uma festa demoravam meses para que fossem vistas por todos os que nela estavam presentes. Hoje, com ferramentas como o Flickr ou o Picasa, em minutos é possível baixá-las em seu computador ou apenas conferi-las virtualmente – adeus filmes e revelações!

Longas conversas hoje podem acontecer por serviços como o MSN Messenger, o GoogleTalk ou o Skype, e vão além do telefone, pois além de serem gratuitos – independente da distância – e de oferecer ótima qualidade de voz, permitem conversar até mesmo por vídeo, fazendo os filmes de ficção científica já não tão mais surpreendentes.

Filas em bancos? Seria cruel se não fosse verdade, mas está deixando de ser realidade para tornar-se apenas um hábito dos aposentados e pensionistas. É comum hoje realizar o pagamentos de contas, transferências, recarga de celulares e até a aquisição de investimentos, capitalização e títulos de previdência privada por meio do netbanking – ou banco on-line, para simplificar.

O jornal de papel, por muitos considerado caro e trabalhoso de manusear, em sua versão on-line oferece tudo em tempo real de modo prático, rápido e gratuito.

A princípio, é a isso que a internet se propõe, facilitar a vida, encurtar distâncias e tornar a vida mais simples.

Estar em todas

Mas, e quando a vida on-line, ao invés de simplificar o dia-a-dia, começa a ficar insustentável?

Não é exagero… Muitos são os fatores que levam pessoas a inscreverem-se em serviços como o Twitter ou Orkut – inclusão em determinado círculo ou rede social, anseio por novas tecnologias e até curiosidade motivada por repercussão de fatos ligados a eles na mídia geral -, e depois assumirem-se viciadas, alegando que o frequente acesso à estas e outras ferramentas acaba por atrapalhar até mesmo sua rotina de trabalho ou estudo. Em pesquisa realizada no site Enquetes.com.br, de um total de 181 entrevistados, 74,6% deles se consideram viciados em internet. E isso ainda é só o começo…

É tênue a linha entre entretenimento e vício quando falamos em internet. Muitas pessoas ficam simplesmente desesperadas quando se vêem sem acesso à rede por motivos alheios à sua vontade como as frequentes quedas de conexão do Speedy, por falta de energia elétrica [!] ou por ter o computador quebrado/em manutenção.

Outra coisa que costuma perturbar os internautas mais ativos – aqueles que “estão em todas da web” e geralmente te acesso à internet em casa e por meio de banda larga – é a incessante necessidade de atualizar suas ferramentas on-line. Colocar novas fotos em seus álbuns virtuais, participar ativamente das comunidades que é membro nas redes sociais, postar novos textos em seus blogs, compartilhar tudo o que viu de interessante, etc… Com o tempo, torna-se uma obrigação.

Mudança de hábitos

A internet trouxe consigo um novo modo de vida, bem diferente dos padrões de alguns anos atrás. Segundo Naomi Baron, professora de linguística na American University e autora de trabalhos acadêmicos sobre a interferência da tecnologia na vida cotidiana, “a rotina diária costumava envolver acordar, ir ao banheiro, escovar os dentes e depois apanhar o jornal, mas agora aquilo que fazemos primeiro mudou dramaticamente. E completa: “Eu mesma sou a primeira a admitir: quando acordo, a primeira coisa que faço é verificar meu e-mail”.

Podemos considerar isto um problema ainda maior se pensarmos que novos hábitos surgem em detrimento de outros: empresas que prestam serviços de conexão à Internet registraram aumento de 50% no tráfego de dados em horários antes tranqüilos, entre 7h e 10h da manhã, horários estes que antes eram usados em larga escala para a prática de atividades físicas, passear com o cachorro, etc…

Mãozinha virtual

Aos que estão “em todas da web” fica a dica: existem atualmente  ferramentas que ‘organizam’ sua vida virtual. Sites como o MeAdiciona reúnem numa só página – que a seu critério pode ser ou não pública – suas ID’s dos serviços de mensagens, links para seus perfis em redes sociais, e de compartilhamento de arquivos, endereços dos seus blog, etc…

Já o Netvibes e o iGoogle permitem que você crie uma página com todos os serviços que deseja ver atualizados durante o dia: dá pra saber se chegaram novos e-mails, ver sua agenda, previsão do tempo e muito mais…

Outra opção são os emuladores de conversas instantãneas como o Meebo, que reúnem todos os seus contatos de todos os programas em uma só página – e conversar com todos eles ao mesmo tempo.

É, a digitalização pegou mesmo… Dia desses descobri que minha avó está no Orkut!

AVISO: Este não é um post pago [não foi encomendado/remunerado pelas empresas nele citadas].
Apenas as opiniões aqui expressas são de responsabilidade do[s] autor[es]. Não nos responzabilizamos pela disponibilidade e/ou qualidade dos serviços e produtos aqui mencionados.
Anúncios

Written by Guilherme Ribeiro

11/08/2009 at 17:41