Guilherme Ribeiro

Not just another WordPress.com weblog

Archive for the ‘automóvel’ Category

Araçariguama, Dona Elza, Gérsão e mais sobre apreensão de veículos…

with 33 comments

Urgh!Dizem que desgraça pouca é bobagem – e que coisas ruins nunca vêm sozinhas. Posso afirmar que ambas as afirmações são verdadeiras!

Semana passada fui socorrer um amigo cujo carro havia sofrido uma pane em pleno Rodoanel. Bom, pelo menos tentei, porque a Polícia Militar Rodoviária, no eficiente exercicío de sua função de zelar pela segurança dos motoristas chegou antes, e é aí que começa toda a história…

Com o intuito de verificar o ocorrido – e se necessário solicitar a remoção do veículo por meio de guincho fornecido gratuitamente¹ pela CCR, – os policiais que o atenderam fizeram uso de outra de suas atribuições zeladoras, mas desta vez para com o Estado: fiscalizar se motoristas e veículos estão em dia com suas obrigações legais, normativas e tributárias. Manutenção preventiva de luzes ou do estepe, validade do extintor, IPVA, DPVAT… Tantas são as coisas para se preocupar no carro que vez ou outra uma delas acaba por passar desapercebida, e para o azar do meu amigo, seu carro estava sem o Licenciamento pago… Desde 2007!

¹Graças à cobrança de pedágio!

É, desgraças de fato apreciam companhia… Motor quebrado e carro apreendido, foram fazer companhia uma para a outra no pernoite no pátio do Posto da Polícia do km 13 – o carro seria encaminhado no dia seguinte para o pátio apropriado. Na verdade, é aqui que começa essa história...

Pátio DERSemana seguinte, pagam-se multa recente e licenciamentos antigos, emite-se CRLV em dia… A partir deste ponto, sinta-se à vontade para desfrutar de toda a paisagem que só a viagem até o Pátio de Recolhimento de Veículos em Araçariguama, no km 44 da Rodovia Castello Branco pode lhe oferecer!

Dica: não esqueça de fazer uma pausa para
conhecer o pedágio de Itapevi.
Ótima pedida, localizado no Km 33, por apenas r$11,20!

Ao chegar no pátio por uma estrada vicinal, daquelas que levantam pouco pó, econtramos em frente a uma imensa plantação de hortaliças um local limpo, bem organizado e com boa infra-estrutura: sanitários, iluminação adequada, bebedouro, cadeiras para espera e um telefone público que não funciona – é, nada é perfeito. Descobri por intermédio do Cabo Edson, homem simpático e sorridente, responsável pelo atendimento em fila única para liberação dos veiculos, que a coisa lá era organizada porque o pátio era fruto de uma PPP, a empresa GP Service administra o local e é responsável por todas as operações de cunho técnico,  e o DER – Departamento de Estradas de Rodagem -, pela famigerada burocracia.

Dona Elza e o Silas MalafaiaNum dos cantos, com fala mansa e serena, Dona Elza sacia minha curiosidade e conta que o livro que lia com tanto afinco era de autoria do Pastor Silas Malafaia. Aos desavisados como eu e meu amigo, que não sabiam que o atendimento no pátio é suspenso no horário de almoço, ela vende guloseimas, salgadinhos, sucos e refrigerantes diaria e ininterruptamente das 10h30 às 17h, e explica com a voz mansa: “Já venho almoçada…”

Calculadas as devidas importâncias referentes ao guincho – Fila no único guichê em atendimento no Banco Postal de Araçariguama.r$136,46 mais r$4,43 por quilômetro rodado para veículos de passeio – e às diárias do pátio, voltamos à Castello Branco, desta vez para o km 50, onde, no centro da cidade uma agência dos Correios se vale de agência bancária. Claro que se não tivesse fila não seria a mesma coisa!

Tudo pago, Castello Branco, retorno, km 44, de prontidão frente ao pátio oaguardando a chegada do guinho contratado para levar o carro – o motor pifou, lembram-se?

Nem preciso falar sobre o guincho, né? Devidamente agendado para às 12h mas afim de contribuir para a onda de diversões do dia, Gérsão, o guincheiro  chegou pontualmente às 13h30.

Veículo liberado, suspenso e amarrado. Castello Branco, a 70 km/h! “Velocidade de segurança”… É, para que o guincho contratado às cegas e em excelente estado de conservação não desmontasse!

Written by Guilherme Ribeiro

05/08/2009 at 23:02

8º Encontro de Antigomobilismo, Santana de Parnaíba/SP.

leave a comment »

Aconteceu hoje [28/06] a 8ª edição do Encontro de Antigomobilismo de Santana de Parnaíba – município localizado a 40km da capital paulista. Das 10h às 17h, cerca de 400 veículos ocuparam grande parte das ruas do Centro Histórico da cidade, cujo trânsito local fora totalmente remanejado.

Rolls-Royce originalíssimo impecável.

Rolls-Royce originalíssimo impecável.

Os carros inscritos eram dos mais variados. Confesso que não me ative muito a modelos, ano de fabricação e demais detalhes que os aficcionaodos por carros não perderiam por nada, mas não pude deixar de notar o incrível Rolls-Royce, os Shelby 427 – não sei se originais ou réplicas perfeitas -, os GMC Trucks, os hot rods, um AlfaRomeo que não se vê por aí, os inúmeros Mavericks, Opalas…

O evento organizado pela prefeitura do município conta com o apoio do Pick-up’s Club. O melhor: totalmente gratuito, tanto para os visitantes quanto para os proprietários dos veículos, estando estes sujeitos a uma única exigência, ou melhor, duas: ter um carro em perfeito estado e com mais de 30 anos de fabricação. Vindos de todas as regiões, os mesmos foram previamente cadastrados no evento de mesmo cunho que acontece semanalmente às terças no Anhembi.

2008-28-06

Gostei muito do evento e confesso que me surpreendi com o clima familiar e a organização impecável. A segurança era constante graças ao patrulhamento contínuo da Guarda Municipal. Aos visitantes foi disponibilizado estacionamento [pago] com seguro.

O diferencial ficou por conta do rock da década de 50 ao vivo, muito bem tocado por Alexis Valenzi & The Hideaway Cats. Pessoas vestidas a caráter se acabando de dançar. O ambiente estava mega familiar, mais do que agradável!

Alexis Valenzi & The Hideaway Cats garantiu o agito ao som de sucessos dos anos 50.

Alexis Valenzi & The Hideaway Cats garantiu o agito ao som de sucessos dos anos 50.

Outro ponto bacana do evento foi a exposição de documentos históricos da cidade como a primeira lei de trânsito municipal e fotos antigas como as dos primeiros veículos automotores de particulares, o primeiro táxi, o primeiro acidente, etc.

Incentivo ao turismo e comércio

Valorizo este tipo de evento. É uma via de mão dupla onde ganham os expositores que notadamente orgulham-se do impacto que suas raridades causam nos visitantes a cada partida do motor, a cada manobra; ganham os visitantes que tem a chance de conferir uma gama considerável de exemplares num mesmo lugar, o que, convenhamos, não é uma tarefa fácil. Mas o motivo menos evidente e que de fato tem maior peso, acredito, seja o estímulo ao comércio local. Segundo o artesão Celso Costafina, que fabrica brinquedos educativos em madeira, seu faturamento na feira de artesananto num dia como estes cresce cerca de 150% em relação a um domingo comum – a feirinha rola toda semana. Além de produtos de decoração e bijuterias, a feira tinha muitas opções de comes e bebes como yakissoba, pastel, tempurá, acarajé…

Esse é um dos motivos que deve levar a Prefeitura a apoiar e patrocinar um evento deste porte – que demanda um custo razoável. O horário do evento também é estratégico: com início às 10h da manhã, a chance de que os visitantes almocem por lá é grande, e a oferta de restaurantes no entorno do palco – onde se concentrava a maior parte dos visitantes – é alta. O mesmo posso dizer sobre os preços…

No mais, recomendo! E com certeza ano que vem eu volto!

Confira outros veículos que marcaram presença no evento:

Written by Guilherme Ribeiro

28/06/2009 at 22:08