Guilherme Ribeiro

Not just another WordPress.com weblog

Archive for the ‘_impressão’ Category

De bubuia no flutuante

leave a comment »

Flutuante EcoLazer III

A manhã foi de ressaca braba, bravamente enfrentada no café da manhã – brincando de alquimia com os sucos de frutas locais na tentativa de descobrir a cura desse mal. Sem sucesso, me rendi à tradicional Coca-Cola.

Continue lendo »

Written by Guilherme Ribeiro

05/08/2017 at 23:22

Uma noite manauara

with one comment

A segunda sexta-feira em Manaus, como da primeira, foi de happy hour no Eldorado – essa sexta, aliás, teve motivo especial para a comemoração: além de mim, que completou 31 anos na quarta-feira, o dia seguinte era aniversário do colega de SP que por acaso encontrei trabalhando no mesmo projeto.

Continue lendo »

Written by Guilherme Ribeiro

05/08/2017 at 03:13

Tucumã

leave a comment »

tucumã.JPG

 

Na rua logo atrás do hotel descobri um pequeno restaurante, de fachada tímida, mas que me pareceu aconchegante. Vitrine do Açaí era o nome, cujo banner logo à porta prometia culinária regional.

Era minha primeira noite em Manaus, então considerei  a oportunidade de conhecer algum lugar que considerasse limpo e agradável para “me fixar”. Virou praticamente minha cozinha, já que o hotel não oferecia estrutura aos hóspedes (com microondas, fogão, etc., como nos hostels).

Continue lendo »

Written by Guilherme Ribeiro

26/07/2017 at 21:45

Irresponsabilidade socioambiental

with 4 comments


Confesso que nunca vou entender os designers e seus fiéis – e estranhos – apreciadores… Tudo bem valorizar a criação intelectual, premiá-la e, claro, vendê-la. Mas daí até cobrar r$ 1700 por uma cadeira feita de garrafas PET há todo um longo, quiçá estúpido, caminho.

Continue lendo »

Written by Guilherme Ribeiro

03/11/2012 at 23:57

A turma do Maurício

with 20 comments

Em comemoração aos 50 anos de carreira de Maurício de Sousa, acontece até terça-feira [18/08] no MuBE uma exposição que reúne em detalhes vida e obra do autor e de todas as suas personagens, além de muitas curiosidades e objetos históricos.

Continue lendo »

Written by Guilherme Ribeiro

14/08/2009 at 22:50

Araçariguama, Dona Elza, Gérsão e mais sobre apreensão de veículos…

with 33 comments

Urgh!Dizem que desgraça pouca é bobagem – e que coisas ruins nunca vêm sozinhas. Posso afirmar que ambas as afirmações são verdadeiras!

Semana passada fui socorrer um amigo cujo carro havia sofrido uma pane em pleno Rodoanel. Bom, pelo menos tentei, porque a Polícia Militar Rodoviária, no eficiente exercicío de sua função de zelar pela segurança dos motoristas chegou antes, e é aí que começa toda a história…

Com o intuito de verificar o ocorrido – e se necessário solicitar a remoção do veículo por meio de guincho fornecido gratuitamente¹ pela CCR, – os policiais que o atenderam fizeram uso de outra de suas atribuições zeladoras, mas desta vez para com o Estado: fiscalizar se motoristas e veículos estão em dia com suas obrigações legais, normativas e tributárias. Manutenção preventiva de luzes ou do estepe, validade do extintor, IPVA, DPVAT… Tantas são as coisas para se preocupar no carro que vez ou outra uma delas acaba por passar desapercebida, e para o azar do meu amigo, seu carro estava sem o Licenciamento pago… Desde 2007!

¹Graças à cobrança de pedágio!

É, desgraças de fato apreciam companhia… Motor quebrado e carro apreendido, foram fazer companhia uma para a outra no pernoite no pátio do Posto da Polícia do km 13 – o carro seria encaminhado no dia seguinte para o pátio apropriado. Na verdade, é aqui que começa essa história...

Pátio DERSemana seguinte, pagam-se multa recente e licenciamentos antigos, emite-se CRLV em dia… A partir deste ponto, sinta-se à vontade para desfrutar de toda a paisagem que só a viagem até o Pátio de Recolhimento de Veículos em Araçariguama, no km 44 da Rodovia Castello Branco pode lhe oferecer!

Dica: não esqueça de fazer uma pausa para
conhecer o pedágio de Itapevi.
Ótima pedida, localizado no Km 33, por apenas r$11,20!

Ao chegar no pátio por uma estrada vicinal, daquelas que levantam pouco pó, econtramos em frente a uma imensa plantação de hortaliças um local limpo, bem organizado e com boa infra-estrutura: sanitários, iluminação adequada, bebedouro, cadeiras para espera e um telefone público que não funciona – é, nada é perfeito. Descobri por intermédio do Cabo Edson, homem simpático e sorridente, responsável pelo atendimento em fila única para liberação dos veiculos, que a coisa lá era organizada porque o pátio era fruto de uma PPP, a empresa GP Service administra o local e é responsável por todas as operações de cunho técnico,  e o DER – Departamento de Estradas de Rodagem -, pela famigerada burocracia.

Dona Elza e o Silas MalafaiaNum dos cantos, com fala mansa e serena, Dona Elza sacia minha curiosidade e conta que o livro que lia com tanto afinco era de autoria do Pastor Silas Malafaia. Aos desavisados como eu e meu amigo, que não sabiam que o atendimento no pátio é suspenso no horário de almoço, ela vende guloseimas, salgadinhos, sucos e refrigerantes diaria e ininterruptamente das 10h30 às 17h, e explica com a voz mansa: “Já venho almoçada…”

Calculadas as devidas importâncias referentes ao guincho – Fila no único guichê em atendimento no Banco Postal de Araçariguama.r$136,46 mais r$4,43 por quilômetro rodado para veículos de passeio – e às diárias do pátio, voltamos à Castello Branco, desta vez para o km 50, onde, no centro da cidade uma agência dos Correios se vale de agência bancária. Claro que se não tivesse fila não seria a mesma coisa!

Tudo pago, Castello Branco, retorno, km 44, de prontidão frente ao pátio oaguardando a chegada do guinho contratado para levar o carro – o motor pifou, lembram-se?

Nem preciso falar sobre o guincho, né? Devidamente agendado para às 12h mas afim de contribuir para a onda de diversões do dia, Gérsão, o guincheiro  chegou pontualmente às 13h30.

Veículo liberado, suspenso e amarrado. Castello Branco, a 70 km/h! “Velocidade de segurança”… É, para que o guincho contratado às cegas e em excelente estado de conservação não desmontasse!

Written by Guilherme Ribeiro

05/08/2009 at 23:02

Eu comento! Tu comentas? Ele comenta…

with 18 comments

Você sabe por que devemos deixar comentários nos blog’s por onde passamos? Descubra aqui.

Já fez um comentário hoje?Se você chegou até aqui e lê agora estas palavras é por que tem acesso à magnífica rede mundial de computadores, a internet! Mais do que isso, sabe que este site que você – graças à Deus! – continua lendo é um blog que você acessou após ser vítima de mais uma das minhas newsletters – cuja finalidade é divulgar este novo projeto ao qual me engajei – ou que apenas encontrou no Google após executar uma busca por um tema do seu interesse.

Dadas as circunstâncias e os fatos, vamos à pergunta da vez. Responda rápido e sinceramente: quantos comentários você já deixou em blogs? Quantas vezes você dividiu sua opinião com o autor daquilo que acabou de ler, seja sobre o assunto abordado, seja sobre a forma como ele o fez?

Pois é, meu caro. Se soubesses como os comentários são importantes… Os comentários são a motivação, o gás que o blogueiro precisa pra continuar, são os empurrões que ele precisa para melhorar, ou, nos casos mais tristes, o puxão à realidade que motiva – com razão – um blogueiro sem futuro a desistir de escrever e partir pra outra! [Rs…]

Brincadeiras à parte, comentários são de fato sempre bem-vindos, e as respostas a eles, também. Acredito que faz parte do protocolo agradecer o comentário, mostrar que realmente se importa com o tempo dispensado a você pela pessoa que leu e comentou – juro que sou muito grato a todos que leram, mais ainda aos que comentaram e nenhum pouco aos que nem leram e nem comentaram! [Rs… x2]

Brincaderias à parte – de novo -, outra prática comum é a troca de comentários. O autor/dono de um blog entra no blog de outro, lê algo e comenta – deixando lá o link do seu blog. O outro faz o mesmo no blog do um.

Sou a favor dessa prática, desde que os comentários sejam reais ou sinceros, estejam relacionados com o tema e que principalmente sejam feitos num post encontrado por meio de pesquisa acerca do tema, ou seja, uma descoberta aleatória tipo a “Estou com sorte!” do Google, mas sem aquele quê de mera publicidade…

Não estou aqui querendo sensibilizar ninguém nem implorando para que você, leitor, comente meus textos.

Mas também não posso negar que um comentário recebido, mesmo que pareça ser uma coisa simples e banal diante de tanta informação disponível e coisas acontecendo ao mesmo tempo nessa rede desenfreada, de fato tem um grande peso para quem recebe – mesmo que não seja positivo!

É, ao contrário do que dizem, críticas são sim bem-vindas. Penso que toda crítica é construtiva e por sê-la, abre espaço para que melhorias, novos rumos e objetivos sejam pensados, almejados e – com sorte – alcançados!

Por isso, sempre que sentir que algo deve ser dito sobre o que está lendo, diga!

Ah, sugestões de assuntos também são bem-vindas!

Abraço!

Written by Guilherme Ribeiro

27/07/2009 at 20:42